SHITFUN > promo 2013

Na atualidade uma das mais conhecidas bandas de Grindcore underground nacional lançou há dois anos atrás uma promo odiosa com um aparato sonoro que não brinca em serviço, atormentando os conhecidos ‘ouvidos de porcelana’ e ‘mimizentos’ de plantão. Mesmo com essa longa data de lançamento tive acesso ao material físico através de Hugo Veikon (Arena Metal – PE), e é claro, resenhar da forma mais grotesca.
Já conhecia o som dos dois maníacos que integram esse barulhento projeto, mas essa promo nunca tinha ouvido com tanta clareza, e cai entre nós, não é pra qualquer um, é ‘lenhada’ do início ao fim, perca 1 minuto e já perderá muita coisa.
Ao bater o olho e ver 13 faixas contendo cada uma nome de pessoas acabei me surpreendendo porque não é tão comum ver isso em outras capas, o ponto negativo que preciso falar é que senti falta do encarte, fiquei curioso na faixa ‘Dominique Martins’ (Porque um único homem no meio de 12 nomes femininos?), no entanto já declaro total aumento de volume para todos os sons. São faixas rigorosas, com xingamentos, brutalidade, caóticas e repletas de veneno a oferecer, sendo inevitável ficar quieto ouvindo a promo.

Shitfun traz consigo o seu mais rápido e revoltante som calejado de dor e revolta, dispostos a captar todas as faces que esse mundo esconde, mostrando como se faz Grindcore de verdade, sem descanso entre as faixas, saindo do convencional e indo ao apocalipse como se fosse a última tarefa da vida (‘Socorro dos Santos’ que o diga). Não há um conceito pré construído ao meu ver, não há nada de complexo em nenhuma das faixas, usando todos os detalhes para narrar atrocidades igual a de um Serial Killer. Quem gosta de Assück, Nasum pode ter certeza que Shitfun é o mensageiro deles no território brasileiro.