CAETITÉ METAL OPEN AIR

A auto afirmação de um headbanger dizendo que tem muitos anos de cena, que participou de shows nos anos 80 ou 90 e que comprou tal disco quando foi lançado, sempre me causou desconforto. Noto em muitas pessoas envolvidas com o heavy metal, que sempre querem impor respeito pela sua história, mas não vejo na maioria nenhuma preocupação com a nova geração, que irá ocupar os espaços na cena heavy metal do futuro.

Em nossa viagem para o Caetité Metal Open Air, no interior da Bahia, notei exatamente o contrário do que tenho visto em minha região. O evento estava lotado de jovens com as mais variadas camisas de bandas e com aquela vontade de conhecer algo novo. Logicamente que um evento realizado na rua, com o patrocínio do governo do Estado as coisas facilitam bastante, mas fiquei realmente impressionado com o clima gerado pelo festival, que envolveu desde os amantes do metal até moradores normais de uma cidade do interior. 

Este documentário retrata duas histórias paralelas, sendo a visão e força de vontade do organizador Vinicius Toledo, em realizar um evento tão significativo para ele e para a cena local, quanto a realidade onde precisamos abrir nossos olhos, apoiando os novatos, para não deixarmos o metal nacional morrer junto a nós.