Kriver > Foresight [EP]

Marcus Headbanger man | RiffandDestroy
Com uma arte de capa e material gráfico de muito bom gosto, desenvolvido por Jean Michel (Designations Artwork), a banda pernambucana da cidade de Recife, KRIVER, lançou a pouco seu terceiro EP intitulado Foresight, o line up que executou as gravações foi Rafael Gorga (vocal), Bruno Oliveira (guitarra), Guilherme Cordasso (baixo), Marcelo Neves (guitarra) e Ricardo Lira (bateria).

Para quem ainda não conhece, a sonoridade da Kriver era um Heavy Metal numa linha mais puxada pro lado tradicional e direto do estilo, com alguns temas e flertes com Hard e Prog Rock, já neste EP "Foresight" o que temos é um exemplo de coragem/renovação/inovação sonora, os músicos tiveram a atitude de sair completamente de sua "zona de conforto" musical e a partir disso compor e executar músicas que seria até incoerência da minha parte tentar encaixar em apenas um estilo musical. 

Com um trabalho vocal matador de Rafael Gorga que vai de vocais mais limpos, a agressivos e até guturais numa mesma música, e um instrumental com uma base orquestrada servindo como um enorme e rico fundo sonoro para um instrumental Heavy Metal, mas bastante intrincado e com variações constantes que vão do Thrash, ao Prog e Hard Rock, definitivamente é um registro com bastante personalidade e coragem, difícil até citar alguma banda que já tentou esse tipo de "salada de musical" e funcionou, o que posso me lembrar apenas para fazer uma referência da quantidade de variações sonoras dentro de cada música, e num contexto geral, era o Blind Guardian em álbuns como Imagination From The Other Side, Nightfall In Middle Earth e A Night At The Opera, não estou dizendo aqui que a sonoridade do Kriver lembra a do Blind Guardian, esqueçam isso, a referência que fiz é em relação as variações musicais constantes dentro de cada composição e também músicas com bastante personalidade e muitos referenciais sonoros. 

Definitivamente essa linha não é muito a minha preferência musical, mas tentei analisar aqui da maneira mais imparcial e justa possível, analisando cada detalhe e característica, principalmente a que mais me chamou a atenção neste trabalho, que foi a coragem dos músicos em se proporem a compor, executar e lançar este EP com uma sonoridade tão peculiar e única. Já quem se identifica e gosta desta sonoridade vai gostar bastante desse trabalho. Parabéns ao Kriver!

Como sempre costumo lembrar após ler a resenha, se você se interessar pela sonoridade da banda, confira o álbum no link abaixo e se gostar do som, corra atrás e compre o material original. 

fb.com/kriverofficial