Anubis - Legacy Of Humanity

Por Fabio Beilfuss em 06/07/10 | http://underground-ma.tk
A segunda entrevista é com a banda Paraense de Thrash Metal Anubis, formada em Belém, no ano de 1994, mas que por várias mudanças em sua formação só estreou em estúdio em 1996 com seu cd-promo auto-intitulado. Recentemente a banda lançou seu Debut com o título: Legacy of Humanity. A Anubis é composta por Renato Costa (guitarra), Maurício Sanjad (bateria), Vinicius Carvalho (guitarra), Felipe Feitosa (baixo) e Sandro Costa (vocal), com o qual conversamos.

Antes de começar a entrevista, não posso deixar de elogiar essa banda, que de tamanha qualidade agrada cinco a cada quatro amigos meus, bangers, que ouviram o som.

Saudações do Underground-MA, pra começar, gostaria de perguntar: Quem sonhou a Anubis? Levando-se em conta que as grandes bandas começam com sonhos...
Sandro.: Da formação original de 1994, estamos eu, Sandro Costa (vocal), meu irmão Renato Costa (guitarra) e Maurício Sanjad (bateria), o nome Anubis foi ideia do primeiro baixista, MAD (Marco Antônio Duarte) Butcher, inspirado no álbum “In The Shadows – Mercyful Fate”, que foi lançado um ano antes, tivemos ainda como embrião do Anubis, nomes como Féretro, Sarcoma, etc... acredito que essas pessoas (sem desmerecer aquelas que passaram e deixaram suas contribuições na banda), sonharam e estão construindo aos poucos o nome do Anubis.

O Legacy of Humanity caiu realmente no gosto de quem teve a sorte de o escutar. O que demonstra logo a qualidade contida nele. O álbum ficou exatamente como vocês queriam ou se fosse possível alterariam alguma coisa nele?
Sandro.: Pô velho, obrigado pelas considerações! Então, nada é 100%, um detalhe aqui e ali nós sabemos que poderia ter saído melhor, mas sem paranóias, o resultado foi excelente, estamos realmente muito satisfeitos com o álbum.
Notadas algumas influências , como thrash metal alemão, com pitadas de Bay Area, qual seria a outra grande influência da Anubis?
Sandro.: Cara, definimos a banda como “predominantemente” thrash metal, isso quer dizer que além das influências que você citou, escutamos e gostamos de todas as vertentes do rock, não só do thrash metal, isso engloba desde progressivo até metal extremo, acredito que de uma maneira ou de outra, essa bagagem musical acaba refletindo nas composições da banda, não que você vá encontrar uma música nossa alá Grand Funk, mas tudo é influência velho, entende!?

Filosoficamente falando agora, o que, ou quem, influencia na composição das letras da Anubis?
Sandro.: Eu e o MAD nos propusemos na época a fazer as letras da banda e lembro de nossas conversas sobre isso, era não inventar moda, vamos falar sobre o que vemos. Das letras do álbum, observamos que boa parte falava sobre guerra, daí surgiram seu nome “Legacy of Humanity” e sua temática, a guerra como legado da humanidade, procuramos falar de fatos específicos dentro de um conflito, o ultimato, o armistício, fazendo um link com interesses, sofrimento, e não simplesmente sangue, morte e destruição. Além disso, falamos também sobre velhice, miséria, intolerância religiosa, etc...

Nos anos 80, bandas como Metallica, Slayer, Exodus, Dark Angel entre tantas outras, estabeleceram algumas bases para o futuro, e o mundo conheceu o thrash metal em toda a sua glória. Hoje em dia muito se fala que o que se faz agora soa repetitivo e apenas se faz para relembrar o passado, em vez de se fazer algo original. Qual a opinião a respeito parece algo ignorante?
Sandro.: Se as pessoas falam é porque existe esse sentimento, a volta do thrash metal old school está aí, é um fato, respeitamos e curtimos muito todo esse movimento, mas não nos furtamos em utilizar outros elementos interessantes dentro e fora do estilo, longe em afirmar que o Anubis faz um som original, mas procuramos esse caminho sim, como exemplo, um dos guitarristas usa uma sete cordas, nossa afinação é mais baixa, isso deixa o som mais encorpado, diferente.

Como a banda vê a cena Norte-Nordeste hoje?
Sandro.: Em uma palavra: forte! Já tive o prazer de ver shows em várias cidades, além de tocar em outras e sempre me deparei com uma cena assim, pessoas que compram material das bandas, procuram contatos com outras cenas, enfim, movimentam o underground, além de estar mais frequente a vinda de grandes bandas gringas pra cá e isso tudo contribui e muito para um ciclo positivo, onde novos bangers vão surgir e ajudarão a impulsionar o metal sempre!

A arte de Legacy of Humanity, feita por Alcides Burn, que nos chamou bastante atenção e atiçou nossa curiosidade. Fale-nos sobre o conceito da capa.
Sandro.: Bem, como falei antes, acreditamos que a guerra é um legado da humanidade, sempre existiu e vai continuar existindo, daí um bebê pra dar essa ideia de continuidade e ele veio estilizado com o corpo de granada, o cordão umbilical é uma bomba de gasolina escorrendo petróleo, o fundo é uma cidade em pleno conflito, etc... o mérito é todo do Alcides, demos a ideia pra ele e o resultado curtimos logo de cara, também queríamos a imagem do Deus Anubis na arte e ficou muito massa, saindo do cogumelo de uma explosão, enfim, o Alcides já tinha trabalhado conosco na Demo e hoje é mais que um parceiro competente, é um brother metal!

Perspectivas para o futuro: Qual é a projeção da banda em termos de tempos vindouros?
Sandro.: Estamos em plena divulgação do álbum, as resenhas estão começando a sair de maneira positiva e continuaremos assim até o final do ano, esperando que a música do Anubis fique bem mais difundida pra aí sim, num curto prazo fazer uma turnê, a princípio Norte/Nordeste, vamos ver! No mais, paralelo a isso, já estamos compondo material pra um novo trabalho e vamos em frente!

Agora uma pergunta bem pessoal: Quando a Anubis tocará em solo gaúcho?
Sandro.: Cara, o projeto existe e já conversamos sobre isso com algumas pessoas aí do Sul, não só do RS, como de SC e do PR também. Os planos são tocar em POA e Caxias do Sul, passando por algum festival de SC, além de outras cidades e terminarmos em Curitiba, mas a distância é um grande obstáculo, não posso precisar a você quando, mas chegaremos!

Obrigado pela entrevista e sinta-se a vontade para suas considerações finais.
Sandro.: Primeiramente, queria agradecer a Underground MA pelo interesse em divulgar a Anubis e dizer que estamos muito contentes com essa parceira em prol do underground. De headbanger para headbanger, espero que vocês tenham gostado do álbum, foi feito com todo zêlo, pedimos para que ajudem a divulgar ao máximo (www.myspace.com/anubisthrash), e mais ainda, espero encontrá-los na longa estrada do rock, valeu a força e vamos continuar impulsionando o metal!!!