Mortos - Homo Homini Lupus

Por Renan Pereira em 28/04/10 | http://underground-ma.tk
A Underground-MA presenteia todos os Bangers que apóiam nosso trabalho no cenário underground, com uma nova coluna, na qual abordará entrevistas com bandas do nosso cenário Metálico. Dia 04 de Junho 2010 o Teatro Ferreira Gullar em Imperatriz, recebe o show da banda Krisiun. Mas além do death metal do grupo as bandas que participam do evento prometem um grande espetáculo. Uma delas é a Mortos. O Underground-MA fez uma entrevista com André Cavaignac vocal/baixo. Confira:
Olá André, em 2009 foi lançada a segunda demo, intitulada Homo Homini Lupus, como vem sendo a repercussão desse trabalho?
André: A repercussão tem sido muito boa. tocamos em um ano em mais cidades fora de Imperatriz-MA do que em quase tres anos de divulgação da 1ª demo, inclusive em capitais que ainda nao tinhamos tocado. Em relação a resenhas da demo, todas tem sido muito elogiosas em relação a qualidade da musica, tema abordado e a qualidade do material fisico (cd, encarte, capa, imagens, etc).

Homo Homini Lupus levou a banda a um nível mais elevado. Como você analisa o estilo da Mortos de uma demo para a outra?
André: Evolução. Temos imensa paixão no que fazemos e nos esforçamos para faze-lo da melhor forma que conseguirmos. Então nada mais natural que ocorra, com o passar do tempo, uma melhora, um amadurecimento na banda, tanto musicalmente quanto liricamente. Foram três anos de uma demo para a outra, amadurecemos como pessoas e isso refletiu na nossa música.

A mortos sofreu mudanças na formação antes das gravações, com a perda de 2 integrantes, como é hoje o trabalho com o line-up atual?
André: hoje o ambiente da banda é muito mais tranquilo. acabamos por produzir mais, e isso tudo reflete na musica. a comunicação entre nós é muito facil, tornando os arranjos mais trabalhados e concisos. a homo homini lupus é um produto de uma fase detransição interna da banda e nós achamos uma demo mais madura do que a 1ª demo. nós estamos ansiosos para concluir os trabalhos do nosso full-lenght que será o retrato do trabalho desse novo line-up e dessa nova fase da banda.

Homo Homini Lupus abordou uma lírica sobre a Selvageria do homem civilizado e a degradação da raça Humana em sua evolução. Como você enxerga isso?
André: É muito facil perceber isso ao nosso redor. Nós da mortos, como entusiastas dos estudos da história humana e filosofia, procuramos base em trabalhos daqueles que pensaram sobre esse tema e cruzamos com as nossas experiências cotidianas.Infelizmente, é uma realidade. Realidade qual discordamos e usamos nossa música para, se não mudar, ao menos fazer refletir.

Em um texto publicado na página da banda em que você abordou questões precisas nessa arte extrema que é o Death Metal e cita bandas como Nile e Death, pelos seus trabalhos que enriqueceram a música extrema em todo o mundo, tornando-a mais séria e com propostas diferentes das demais bandas do estilo. Essa também será a proposta da Mortos a partir de Homo Homini Lupus?
André: Com certeza. esse é um caminho que começamos a trilhar em Homo Homini Lupus e queremos continuar no futuro disco. Hoje odeath metal é um movimento musical de vanguarda, é só ver quantos expoentes técnicos dos instrumentos o death metal possue hoje. os bateristas, guitarristas e baixistas mais virtuoses pertencem ao death metal. e esse avanço técnico é seguido daevolução lirica do death metal, saindo do universo gore e entrando na cena das discussões humanas.

A Mortos é uma banda que sempre primou por manter um trabalho sério, que realmente corre atrás e luta na cena underground, não apenas como banda, mas também no papel de produtora, organizando shows e mantendo sempre a engrenagem funcionando, através da Chaos Produções, tendo em seu currículo eventos com: Torture Squad, Subtera, dominus Praelli, Strike Master,Headhunter D.C., Omen, Master e vindo Krisiun por aí. como vocês encaram as dificuldades e os riscos da nossa indústria fonográfica e toda essa parte de profissionalismo musical?
André: Nunca encaramos a musica como profissão, nem mesmo como bico. Buscamos a realização profissional em outras áreas e reservamos a musica para nosso prazer, hobbie, O bruno é administrador formado, ruhan cursa administração e eu estou concluindo engenharia. A lógica é bem simples, Ganhar dinheiro fora da música pra gastar na banda, (risos). Como produtor, nossa intenção é realmente promover a cultura underground na nossa região, sem tambem ter a intenção de ganhar dinheiro. pelo contrario, normal é o evento dar prejuízo, mas continuamos mesmo assim.

Na opinião de vocês, qual o segredo para fazer uma banda brasileira de Metal dar certo?
André: Se dar certo é viver da banda de metal, desconheço pois nunca buscamos isso. Se dar certo é ter um projeto coerente com o que acreditamos e satisfazer musicalmente quem gosta do som da banda, o segredo é ter paixão pela musica, pelo metal extremo e pelo estilo de vida underground. as dificuldades são muitas, só quem tem isso no sangue dura no underground.

Obrigado pela entrevista e sinta-se à vontade para fazer os comentários adicionais que julgar necessários.
André: Obrigado pelo espaço. o trabalho dos zineiros e web zineiros e qualquer um que trabalhe pra divulgar o trabalho das bandas para o publico é válido. Grande abraço a todos, e pra quem nao conhece o trabalho da banda, acessem nosso Myspace
http://myspace.com/mortosdeath